Por Patricia Travassos

Será que o surgimento de tantos gadgets de tradução reduz a necessidade de se aprender um novo idioma? A tecnologia vem se sofisticando para facilitar a nossa vida em viagens pelo mundo, seja de férias ou a negócios. Aquelas situações constrangedoras clássicas, como olhar uma placa de rua ou um abrir um cardápio e não entender nada, já estão com os dias contados.

Traduzir “texto” para “texto”

Google tradutor: 

Já tem aplicativo gratuito disponível no Brasil em que você simplesmente aponta o seu celular para uma imagem e ele traduz o TEXTO em tempo real usando a tecnologia de realidade aumentada.

Traduzir “voz” para “voz”

SayHi:

Agora, usando a VOZ, que é a grande estrela nas novas tecnologias que estão sendo  aprimoradas hoje, também já tem app que ouve você num idioma e imediatamente traduz para outras dezenas de línguas à sua escolha. Nesse caso, a tecnologia facilita situações como pedir informações na rua e puxar conversas rápidas com estrangeiros.

Itranslate:

O iTranslate é mais uma opção de aplicativo que traduz voz para voz.

Traduzir “voz” para “texto”

Vídeo azure:

O desafio dos desenvolvedores tem sido melhorar cada vez mais o entendimento da fala natural para evitar mal-entendidos que ainda são comuns em atendimentos via assistentes eletrônicos. Mas a tecnologia tem evoluído inclusive permitindo a compreensão de termos profissionais ou jargões de determinados mercados ou indústrias.

Isso tem sido fundamental para a novidade que eu tenho visto nos últimos congressos internacionais que acompanho: a tradução simultânea dos palestrantes por legenda. Nesse caso, a tecnologia é a inteligência artificial capaz de transcrever o que está sendo dito em áudio para legenda. E aí, normalmente, nos telões onde a palestra é transmitida ao vivo, as pessoas já têm acesso à legenda em tempo real, normalmente com o discurso traduzido simultaneamente.

O que isso significa? Será que aprender um outro idioma deixou de ser importante? Não, de jeito nenhum.

As oportunidades de emprego são maiores para quem fala outro idioma, os salários são mais altos e, com tantas possibilidades de comunicação entre diferentes culturas, a procura por profissionais fluentes em inglês, por exemplo, já começa até em cargos de entrada como estágio.

Não é à toa que a informação sobre segunda língua é a maior mentira encontrada nos currículos de quem procura emprego.

Mas isso também pode começar a ser resolvido de formas mais fáceis e acessíveis, além dos bons e velhos cursos de idiomas que a gente conhece (e eu frequentei a vida inteira):

Aplicativos para aprender um idioma

Duolingo

Duolingo é um app gratuito, gamificado, de aprendizado de línguas. Você ganha bônus e perde vidas de acordo com o seu desempenho nos exercícios. A interface do aplicativo é bem divertida para que aprender uma outra língua seja um prazer, não uma obrigação.

Verbling

E um outro formato de curso que achei interessante, esse é pago, é o que a plataforma Verbling oferece: são professores profissionais cadastrados no mundo todo que dão aula via vídeo conferência. Eles são necessariamente nativos da língua que se propõem a ensinar e a plataforma permite compartilhamento de material didático, ranqueamento do professor, agendamento fácil para todos os fusos horários.

Ou seja: não tem mais desculpas para não se comunicar com o mundo!

PS: As ofertas de gadgets tradutores crescem todos os dias. Fique atendo à necessidade de o aparelho estar conectado na internet enquanto funciona pois isto pode dificultar o funcionamento em lugares mais remotos, sem infra, ou tornar a sua viagem mais cara. É o famoso barato que sai caro.

Assista ao comentário de Patricia Travassos no Globonews Em Ponto.

Soluções inovadoras para melhorar a mobilidade urbana

As inovações o futuro da mobilidade

A explosão dos serviços de delivery

A profissão do presente

Fomos ali dar uma voltinha no futuro

Vídeo é tendência!

TAG

Prosa Press

VEJA TAMBÉM