Envelhecer: Os desafios da inovação na longevidade

5 dicas para fazer integração de funcionários valorizando a produtividade
28 de agosto de 2018
Vender é um dom, mas é preciso se aprimorar
2 de setembro de 2018

Envelhecer: Os desafios da inovação na longevidade

O que significa envelhecer nos dias de hoje?

 

Por Patricia Travassos

 

Nós temos o privilégio de viver hoje a revolução da longevidade: quando o número de idosos caminha a passos largos para superar o número de crianças e propõe uma reinvenção do conceito do que é ser idoso.

 

Imagine que antes a gente tinha pela frente uma corrida de 100 metros. Agora, é preciso estar preparado para uma maratona – a vida se apresenta em longa distância. A tecnologia tem exercido papel fundamental nessa revolução da longevidade, não só como ferramenta que expandiu a nossa expectativa de vida, mas por ser capaz de conectar diferentes gerações e nos conduzir para uma sociedade TRANSETÁRIA – em que as pessoas encontram meios de superar as limitações impostas pela idade e estão derrubando estereótipos (não se definem por faixa etária).

 

 

Veja o contexto brasileiro: 

  • O Brasil é um dos países que envelhecem mais rápido no mundo;
  • A cada ano, nossa expectativa de vida aumenta em 3 meses;
  • Nos últimos 20 anos, o número de idosos dobrou;
  • E nos próximos 20 anos, vamos dobrar a proporção de idosos na população;
  • Essa população acima de 60 anos, hoje, já representa 30% do mercado consumidor no Brasil – a chamada economia da longevidade que tem um enorme potencial de crescimento.

 

Enquanto isto, as circunstâncias da transformação digital e da crise tem levado as empresas à contratação de profissionais mais jovens porque eles entendem de tecnologia e ganham menos. Mas isso não deve acontecer em detrimento dos profissionais mais experientes.

 

Eu conversei com o Mórris Litvak, fundador do Maturijobs, que é uma plataforma que reconecta profissionais com mais de 50 anos ao mercado de trabalho. Segundo ele, hoje é enorme o preconceito etário nas empresas. Muito embora já esteja comprovado que a diversidade racial, de gênero e também a etária garantem inovação.

 

Com a tecnologia como ponte intergeracional, o CEO aprende com o estagiário (independentemente da idade de ambos), o professor com o aluno e vice-versa. Só uma dinâmica assim: mais horizontalizada e menos autoritária pode preparar as empresas para atender à economia da longevidade.

 

Então, segundo o especialista em envelhecimento, presidente do Centro Internacional da Longevidade, Alexandre Kalache, é preciso uma adaptação geral – tanto de quem já virou idoso, mas tb de quem está a caminho disso. Porque a gente não envelhece só quando se aposenta. É preciso transformar o modo como a gente planeja o nosso curso de vida. Se antigamente, a sequência natural era:

– Nascer, aprender, trabalhar e ter filhos (ou ter filhos e trabalhar), se aposentar e morrer (pouco tempo depois)…

Hoje, o aprendizado precisa ser um processo contínuo (para a vida inteira) e nós devemos nos preparar para mudar de carreira mais de uma vez ao longo da vida que será ativa até muito mais tarde. Afinal de contas, as tecnologias estão promovendo a prevenção e o tratamento mais efetivo das doenças e essa a integração social, intergeracional que promove o bem estar e a qualidade de vida).

 

Então, eu deixo como provocação uma pergunta que o Kalache costuma fazer sempre: como é que você se imagina aos 85 anos? Trabalhando, praticando esportes, viajando, curtindo os netos e a família? Ele aposta que ninguém se imaginou num hospital geriátrico. Mas pra isso, é preciso começar hoje a se planejar para esse futuro!

 

Quem quiser refletir mais sobre o assunto, eu indico uma exposição que está em cartaz em São Paulo chamada Diálogos com o Tempo, no Unibes Cultural, até o dia 13/10.

 

Assista ao vídeo com o comentário de Patricia Travassos no Em Ponto, na Globonews

 

 

1 Comentário

  1. Glacyra Lazzari Leite disse:

    Comentários corretos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.