Pílulas do conhecimento: conheça e aplique o método do microlearning

Como você imagina a comida do futuro?
10 de outubro de 2018
Treinamentos em compliance: confira os benefícios para uma empresa
11 de outubro de 2018

Você já ouviu falar sobre essa técnica?

 

 

O tempo está cada vez mais exíguo com as rotinas de trabalho atribuladas e movimentadas. Por outro lado, a necessidade de informação, conhecimento e aperfeiçoamento aumenta. De que forma conciliar ambas as realidades? A resposta é a estratégia de microlearning — ou pílulas do conhecimento —, que está em crescente popularização atualmente.

Você já ouviu falar sobre essa técnica? É possível que tenha recebido em sua caixa de e-mail ou redes sociais pequenas doses de assuntos ou mensagens breves, explicando algum conceito ou informando sobre determinada questão.

O microlearning funciona justamente assim: a estratégia leva mensagens curtas e objetivas até o receptor, para informar e formar. Quer entender melhor? Então, continue a leitura!

 

O que é microlearning, ou pílulas do conhecimento?

Trata-se de uma estratégia elaborada dentro do planejamento de uma empresa, ou um curso, para disparar conteúdos breves, pontuais, concisos e frequentes. No entanto, isso não significa que os materiais devam ser superficiais.

Nesse sentido, o ideal é condensar as informações e dados úteis em um formato pequeno, acessível e de rápido consumo. O nome “pílula”, não à toa: é algo para ser consumido rapidamente, mas que cause efeito na vida do leitor.

E o que compartilhar por meio do microlearning? São muitas opções, desde reforçar orientações até ensinar novos procedimentos e padrões, passando por notificar sobre assuntos importantes. Lembre-se de que precisa haver um viés educacional nesses casos — microlearning não é assessoria de imprensa ou comunicação interna.

 

 

Quais as vantagens do microlearning?

Receber conteúdos pontuais e, melhor ainda, úteis e importantes, é o que todo trabalhador atarefado deseja. Afinal, supre as necessidades por atualização e aperfeiçoamento, sem tomar muito tempo, como seria um treinamento tradicional.

Para os gestores ou administradores, é a garantia de que terá a atenção do funcionário ou aluno, tornando a mensagem mais efetiva. Pense bem: ao invés de marcar uma grande conferência, por que não investir em disseminar conteúdos periodicamente?

 

 

Quais são os formatos do microlearning?

Há muitas possibilidades, desde o envio de mensagens de texto (e-mail, redes sociais ou mensagens de celular) até os vídeos breves nas plataformas disponíveis. Não pense que só o YouTube funciona aqui. Outras possibilidades, como o Instagram, também são interessantes. Tudo depende do perfil da sua empresa e da sua necessidade específica.

O importante é criar e executar uma estratégia. Desse modo, o planejamento das suas pílulas do conhecimento deve ter começo, meio e fim, com mensuração de resultados e análise posterior. Aliás, considere incluir um call-to-action, espécie de incentivo para alguma determinada ação, para facilitar o trabalho pós-disparo de mensagens.

Por fim, vale responder uma importante questão: quando NÃO usar o microlearning? Bem, quando for necessário, por exemplo, um treinamento complexo e extenso, que exija atenção total, a estratégia pode não ser eficiente.

Portanto, sempre que precisar de uma aproximação maior com o seu público, é essencial marcar encontros presenciais ou por teleconferência, que permitam o diálogo mais aprofundado. Se não for esse o caso, as pílulas do conhecimento fazem um grande trabalho em informar uma equipe ou alunos.

Gostou do post? Então não deixe de seguir nossas páginas no Facebook, Twitter LinkedIn para ficar por dentro de mais conteúdos como este!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.